Menu
Filiada à:
Menu

SBGG divulga resultado do Concurso de Redação sobre envelhecimento

Estudante de Minas Gerais vence concurso de redação sobre envelhecimento


Realizado pela Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia,
participaram 252 estudantes do Ensino Médio de todo o País

 

A Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia (SBGG) divulgou, na semana passada, o resultado do segundo concurso de redação, realizado com alunos do 1º e 2º ano do Ensino Médio. A vencedora foi a estudante Maria Clara dos Santos Rodrigues, de 15 anos, de Bom Despacho, cidade que fica a duas horas da capital de Minas Gerais.

“Estou muito feliz! Sai de férias da escola e nem me lembrava, até que recebemos um e-mail informando que eu estava entre as finalistas e depois
outro, dizendo que eu ganhei”, conta a jovem, que estuda no Colégio particular
Universo.

Foi a mãe de Maria Clara, Sandra Maísa dos Santos, professora de História na rede pública de ensino e arquiteta, quem deu a notícia e contou que a filha é muito dedicada aos estudos. “Eu e o pai dela sempre incentivamos. Desde pequena, eu lia junto com ela”.

A professora de Língua Portuguesa e de Redação, Lilita Vaz, ficou orgulhosa da conquista e recebeu como um coroamento de seus 30 anos dedicados ao ensino das técnicas de escrita aos alunos: “Vejo a redação como algo preponderante, porque tudo que a gente aprende é para escrever, isso valoriza o nosso idioma”.

Discutindo sobre envelhecimento nas escolas

Realizado pelo Departamento de Gerontologia da SBGG, o tema do concurso foi “Envelhecendo no Brasil do século XXI”. Participaram 252 estudantes, de escolas públicas e privadas de diversas regiões do País.

Segundo Maria Angélica Sanchez, coordenadora do concurso, o objetivo foi promover o debate sobre o envelhecimento e sensibilizar os gestores da Educação e professores para a importância dessa fase da vida.

“Desde a promulgação da Política Nacional do Idoso, em 1994, não caminhamos muito, pois essa importante questão ainda não foi inserida nos currículos, como orienta a lei nº 8.842”, explica Sanchez.

Além disso, para a coordenadora do concurso, muitos jovens ainda têm uma visão preconceituosa, entendendo a velhice como sinônimo de tristeza, decadência, doença e morte: “Ainda é pequeno o número de jovens que, como Maria Clara, são detentores de conteúdos expressivos sobre o envelhecimento”.

Prêmio e futuro

Maria Clara ganhou como prêmio um notebook e a oportunidade de viajar para São Paulo, para participar do XXII Congresso Brasileiro de Geriatria e Gerontologia, que acontece de 2 a 4 de abril. Na ocasião, ela terá a oportunidade de apresentar a redação vencedora aos congressistas.

A jovem também começa a se preparar para a faculdade e disse já ter uma área predileta. “Gosto de Ciências Humanas, inclusive, não descarto um dia ser jornalista, quem sabe, para escrever sobre idosos”, brinca ela com a reportagem da SBGG.