Menu
Filiada à:
Menu

Etarismo: o impacto na vida do idoso e como melhorar

O ageismo, ou etarismo, é a discriminação por idade e é comumente contra os idosos. Esse tipo de preconceito surgiu de estereótipos que fazem parte da construção da sociedade, e referem-se à saúde, capacidade e empenho, idade, fragilidade, entre outros.

A Organização Mundial da Saúde (OMS), em 2016, entrevistou cerca de 83 mil pessoas em 57 países e o resultado foi que 60% daquele grupo tem uma visão negativa sobre o envelhecimento, o que é basicamente uma intolerância contra o próprio futuro.

O impacto do ageismo nos idosos


O estereótipo também pode afetar o desempenho físico, pois os idosos são vistos como mais lentos, frágeis e fracos. O que pode levar a uma caminhada mais lenta e a uma força de preensão mais fraca para adultos mais velhos.

O idoso no Brasil


Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a partir de 2031 haverá mais idosos do que crianças e adolescentes, e em 2042 essa população alcançará o número de 57 milhões de brasileiros.

Analisando esses dados é perceptível a necessidade de olhar para o envelhecimento de maneira positiva e real, valorizando todas as vantagens que esse período da vida traz para todos, seja por conta de maior conhecimento sobre a vida.

Combate ao etarismo


Uma das formas mais adequadas de combater o etarismo é disseminar informações pertinentes ao tema, a fim conscientizar a população sobre o assunto.

confira a entrevista da Dra. Simone Pinto, vice-presidente da Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia (SBGG), para o Portal UOL, na reportagem:
“Como o preconceito de idade prejudica empresas e a economia no Brasil”