Menu
Filiada à:
Menu

Dia Mundial de Prevenção do Suicídio

O mês de setembro é conhecido pela campanha Setembro Amarelo, que é marcada pela prevenção do suicídio. No Brasil, cerca de 12 mil pessoas tiram a própria vida anualmente.

O suicídio é um fenômeno complexo e pode ser influenciado por diversos fatores, sejam eles psicológicos, biológicos, sociais e culturais.

Nessas múltiplas causas, os transtornos como depressão, bipolaridade e abuso de substâncias, como álcool e drogas, são conhecidos como os principais fatores de risco ao suicídio.

O suicídio e a pessoa idosa

O Boletim Epidemiológico divulgado em setembro de 2020 pela Secretaria de Vigilância em Saúde e o Ministério da Saúde mostrou que em quase todas as regiões do mundo as taxas de suicídio entre pessoas com mais de 70 anos são mais elevadas.

Entre as pessoas idosas que cometeram suicídio, 71% a 95% apresentavam algum tipo de transtorno mental. Esse processo de adoecimento mental está associado a problemas de saúde física, isolamento e a falta de suporte social.

As lesões autoprovocadas, como são conhecidas, apresentam maiores percentuais de notificações nos estados de São Paulo, Minas Gerais, Sergipe, Roraima e Pará.

As mulheres também são maioria, elas representam 51,4% das lesões autoprovocadas, divididas em 58,7% brancas, 31,2% negras, 0,7% amarelas e 0,4% indígenas.

A saúde mental das pessoas na velhice

A saúde mental merece atenção durante todas as fases da vida, mas na velhice esse olhar deve ter ainda mais dedicação. Isso porque muitos idosos passam por encerramentos de ciclos e são afetados de maneira única.

Os sentimentos de solidão, ansiedade, tristeza, exclusão e incapacidade podem começar a fazer parte da vida dessas pessoas, por isso é importante ficar atento aos sinais negativos que mostram que algo não está bem.

Indícios de irritabilidade constante, afastamento, choros e desânimo frequentes, falta de energia para realizar atividades corriqueiras, mau humor e recusa a se levantar da cama, devem ser observados com atenção.

O que fazer para ajudar a saúde mental do idoso:

• Ajude a pessoa a criar hábitos saudáveis;
• Realize atividades físicas e mantenha o corpo ativo;
• Esteja presente e seja um bom ouvinte;
• Incentive hobbies;
• Proporcione boas noites de sono;
• Acompanhamento psicológico;
• Incentive a autonomia no dia a dia.

Para acompanhar mais dicas de como manter um envelhecimento ativo e saudável, acesse as redes sociais da SBGG, lá é possível encontrar diversos assuntos que podem ajudar nesse momento.

/Facebook /Instagram /LinkedIn