Perguntas frequentes

A Coda foi fundada em 2005­-2006 pela Archstone Foundation para desenvolver e testar um programa para educar moradores de instituições de longa permanência para idosos, seus familiares e a equipe profissional a respeito de opções possíveis e preferências pessoais no planejamento terapêutico ao final da vida. O jogo Go Wish® foi elaborado como parte desse programa, atendendo à necessidade de estimular discussões que abordem de maneira positiva os valores e as vontades sobre as intervenções ao final da vida. Foi também idealizado como uma ferramenta eficaz para idosos com comprometimento cognitivo leve e para pessoas com baixa escolaridade, mas sem ser simplista para indivíduos com nível educacional mais elevado.

O jogo consiste em um baralho com 36 cartas. Cada carta representa uma vontade que as pessoas costumam indicar como sendo importante para elas nas últimas semanas ou meses de vida. Para jogar na modalidade “paciência”, a pessoa separa as cartas e as classifica conforme suas prioridades. Em seguida, conversa com familiares e amigos sobre suas escolhas e preferências. Duplas também podem jogar. O objetivo não é criar uma lista definitiva de vontades da pessoa, e sim estimular o diálogo sobre o que é ou não importante para a pessoa e o porquê. Muitas pessoas observam que, ao jogar repetidas vezes, a classificação das cartas muda um pouco, e isso as ajuda a refinar seu pensamento sobre seus valores e como eles se aplicariam às diferentes situações.

Fazer escolhas é uma tarefa difícil; deixar algumas coisas de lado e priorizar outras pode ser frustrante. Mas nós verificamos, depois de trabalhar com milhares de pessoas, que escolher as 10 vontades mais importantes é extremamente valioso para cada pessoa e para aquelas que as amam e terão que tomar decisões por elas ou protegê-las.

No processo de separação das cartas, a expressão “não importante” tem significados distintos para diferentes pessoas. Para algumas, reflete que “isso não tem a menor importância para mim”, ao passo que para outras pode indicar que “esse é um assunto já solucionado, então não preciso que alguém me represente ou resolva isso”.

O fundamental é identificar as 10 vontades mais importantes que você deseja que seu procurador de saúde saiba ao tomar decisões em seu nome. Essas vontades são aquelas que você quer assegurar, a fim de que sejam respeitadas.

Uma pessoa que jogou com as cartas mudou o nome dos montes para “muito importante”, “mais ou menos importante” e “que idiotice”. Para ela, o monte “muito importante” incluía cartas com vontades que as pessoas que cuidavam dela deveriam entender e respeitar ao pé da letra. Ela já tinha organizado suas finanças, sentia-se em paz com Deus, sabia que podia rezar se desejasse e tinha um médico em quem confiava. Ainda assim, ela queria que seus familiares soubessem que desejava a companhia deles, se não desse muito trabalho, quando estivesse próxima de morrer; que ela não queria ser mantida viva por aparelhos; e que, se possível, gostaria de morrer em casa. No monte “que idiotice”, ela incluiu a carta a respeito de ajudar os outros. “Ajudei pessoas por 80 anos”, brincou, “já era hora de me ajudarem, agora que estou morrendo!”

Claro! Suas vontades podem variar drasticamente conforme as circunstâncias da sua vida. Reorganize as cartas sempre que quiser e comunique suas vontades atuais a quem você desejar.

O baralho foi inicialmente desenvolvido como uma ferramenta para estimular conversas sobre valores e vontades na tomada de decisões sobre os cuidados ao final da vida, envolvendo residentes de instituições de longa permanência para idosos, seus familiares e a equipe de profissionais. Revisamos as cartas originais do baralho para torná-las mais inteligíveis para idosos com déficit de atenção e com uma linguagem simplificada para melhor entendimento. Os membros do conselho da Coda Alliance e voluntários testaram o jogo com amigos, familiares, vizinhos, médicos, enfermeiros e assistentes sociais. A Coda Alliance usou o jogo em vários ambientes comunitários, tais como grupos de igrejas e centros de convivência para idosos. Pessoas com comprometimento visual podem participar do jogo informando o quanto concordam com a vontade expressa em cada carta lida em voz alta para elas. As cartas podem ser usadas como ponto de partida para discussões sobre seus diferentes significados e implicações, com os quais as pessoas podem concordar ou não.

A Coda Alliance, em parceria com a Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia (SBGG), vende o jogo para o público em geral e profissionais da Saúde. Em discussões sobre diretivas antecipadas de vontade e preferências relacionadas a intervenções ao fim da vida, o jogo ajuda pacientes e seus procuradores de saúde a comparar e discutir prioridades que eles têm em comum e a identificar onde suas vontades divergem.

O jogo é útil para profissionais da Saúde a fim de iniciar uma conversa franca sobre cuidados ao fim da vida e o que está por acontecer com pacientes e familiares. Permite ao paciente que não tenha um procurador de saúde expressar suas prioridades e preocupações. Isso facilita a compreensão e o respeito de suas preferências pela equipe profissional.

As cartas são atraentes e duráveis. Os baralhos vêm em duas cores. Dessa forma, em jogos com mais de um baralho, se uma carta cair ao chão, sabe-se a qual baralho ela pertence. A caixa vem com instruções que ensinam o jogo nas suas diferentes modalidades: individual e em duplas.

O baralho é vendido apenas pelo site da SBGG. Clique aqui para adquirir o seu. Um percentual de cada venda destina-se à Coda Alliance para apoio a programas de educação da população.

Go Wish® foi desenvolvido pela Coda Alliance e tornado possível, em parte, por um financiamento da Archstone Foundation.

Retornar a SBGG

iTarget

iTarget