Se esse é seu primeiro acesso, clique aqui. Esqueci minha senha

9/12 Dia do Fonoaudiólogo: entenda o papel do fonoaudiólogo especialista em Gerontologia na assistência ao idoso

09/12/2016
Nota_03

Imagem da campanha oficial “Orgulho de Ser Fono” – série de eventos para comemorar o Dia do Fonoaudiólogo idealizada pelo Sistema de Conselhos Federal e Regionais de Fonoaudiologia. Acesse no facebook http://bit.ly/2hbP8Nd 

Nesta sexta-feira, dia 9 de dezembro, é celebrado o Dia do Fonoaudiólogo. A data em que a profissão foi regulamentada no Brasil, em 1981. Para a SBGG este profissional, juntamente com a atuação integrada de uma equipe multidisciplinar, é uma das peças-chave no processo de promoção de um envelhecimento com qualidade de vida, autonomia, independência, bem como na reabilitação do indivíduo.

O Conselho Federal de Fonoaudiologia foi o primeiro a firmar parceria com a SBGG e reconhecer o título de “fonoaudiólogo Especialista em Gerontologia”. O convênio foi estabelecido em 2014 (confira notícia) e tem possibilitado uma atuação de ambas as instituições na promoção, capacitação e aperfeiçoamento de profissionais que tem o interesse em integrar os conhecimentos em fonoaudiologia aplicados ao campo do envelhecimento.

Para falar sobre a importância do fonoaudiólogo Especialista em Gerontologia e de seu papel frente ao idoso, convidamos Lia Duarte, fonoaudióloga clínica e diretora-secretária da Sociedade Brasileira de Fonoaudiologia (SBFa) e Luciane Teixeira, fonoaudióloga Especialista em Gerontologia pela SBGG desde 2000 e atual presidente do Departamento de Gerontologia da SBGG-SP. Confira abaixo:

Quem é o fonoaudiólogo especialista em Gerontologia?

Com atuação na prevenção e reabilitação do idoso, o fonoaudiólogo destaca-se nas seguintes áreas ligadas ao envelhecimento: avaliação, indicação de prótese auditiva; nos distúrbios de recepção e emissão da linguagem (casos de afasia); distúrbios de articulação devido utilização de próteses dentárias; alterações na voz devido doenças neurológicas (Parkinson); alterações nas funções de mastigação e deglutição (disfagia entre outros).

De acordo com Lia, as principais alterações ligadas ao envelhecimento ocorrem na deglutição, na linguagem, na audição. Segundo a especialista, com o aumento da expectativa de vida da população, é fundamental focar o olhar na prevenção de determinadas doenças, o que aumenta a perspectiva de atingir a nova fase com saúde e qualidade de vida. Para isso, o trabalho preventivo torna-se fundamental.

Opinião compartilhada por Luciane. Incentivada pelo contato que teve com Tereza Bilton, uma referência nesta área da Gerontologia, Luciane se apaixonou pelas possibilidades que a fonoaudiologia voltada para o idoso apresentavam e assim segue nesta vertente já há 20 anos.

Segundo ela, “trata-se de uma busca incansável, diária, para aprimorar o conhecimento, desenvolver pesquisas na área, participar dos movimentos de mudanças e, sobretudo, quebrar o paradigma de atender o idoso apenas quando ele está doente, mas sim, atuar de forma preventiva, pensando em ações que permitam olhar o indivíduo além da doença, com foco na saúde e qualidade de vida”.  Esta é a força que a estimula a seguir em frente e que movimenta grande parte daqueles que atuam com o envelhecimento.

A importância da titulação

Para Luciane, que alcançou a titulação há 16 anos, “o Especialista em Gerontologia deve ter o olhar capaz de reconhecer sinais e sintomas que fazem parte do processo natural do envelhecimento e diferenciar daquelas alterações consideradas patológicas, que decorrem de alguma doença ou indicam alguma circunstância que necessite de acompanhamento aprofundado e capacitação”, esclarece Luciane.

Com o crescente número de idosos na população a demanda por profissionais capacitados tem aumentado, indicando que o Especialista em Gerontologia será cada vez mais requisitado.

Lia esclarece que a fonoaudiologia atua há tempos com prevenção e reabilitação de idosos e, a especialização em gerontologia, fruto da parceria instituída entre a SBFa e a SBGG, chega num momento importante para os fonoaudiólogos, que tem buscado conquistar um novo lugar na equipe multidisciplinar que atua com o idoso.

“O fonoaudiólogo tem ganhado cada vez mais seu espaço junto a esta equipe. Infelizmente a realidade no Brasil ainda não é a mesma em todas as regiões. Hoje a presença do fonoaudiólogo em home care, equipes hospitalares, clinicas multidisciplinares já e grande, mas ainda temos muito a conquistar”, finaliza Lia.

Leia também: Informe-se sobre o Título de Especialista

iTarget

iTarget